Mercado fechará em 3 h 2 min
  • BOVESPA

    108.456,43
    +80,08 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.417,08
    +410,97 (+0,91%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,53
    +3,03 (+3,86%)
     
  • OURO

    1.666,10
    +29,90 (+1,83%)
     
  • BTC-USD

    19.510,64
    +418,73 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,81
    +16,03 (+3,74%)
     
  • S&P500

    3.701,84
    +54,55 (+1,50%)
     
  • DOW JONES

    29.589,45
    +454,46 (+1,56%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.480,75
    +147,00 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1765
    +0,0166 (+0,32%)
     

Destroços de cometa podem produzir chuva de meteoros na próxima semana

Destroços de cometa podem produzir chuva de meteoros na próxima semana (foto: NASA)
Destroços de cometa podem produzir chuva de meteoros na próxima semana (foto: NASA)
  • O fenômeno envolvendo o cometa foi batizado de Tau Herculídeos

  • A chuva meteoro poderá ser vista dos Estados Unidos e Canadá na próxima terça-feira

  • A aparição deve proporcionar alguns breves mas brilhantes rastros de chamas.

Uma chuva de meteoros possivelmente será vista a partir da Terra na próxima semana. O fenômeno astronômico, que foi chamado de Tau Herculídeos, deve se desprender do cometa batizado de SW3 a partir de 30 de maio e atingir o pico de visibilidade em 31 de maio entre 01h45 e 02h17 (horário de Brasília), iluminando os céus dos EUA e partes do Canadá. com alguns breves mas brilhantes rastros de chamas.

O astrônomo da NASA Bill Cooke descreveu a possível próxima aparição do cometa como um "evento de tudo ou nada". O show seria o resultado de detritos lançados de um fragmento do cometa. Embora os detritos do cometa geralmente caiam atrás do fragmento do cometa para formar a cauda, ​​às vezes ele pode ser expelido a uma velocidade tão alta que os pedaços de gelo e rocha são lançados à frente do cometa.

De acordo com a American Meteor Society (AMS), para que possamos ver esses detritos enquanto queimam em nossa atmosfera, eles precisam ser grandes o suficiente ou rápidos o suficiente para queimar brilhantemente enquanto nosso planeta percorre seu caminho.

“Se os destroços do SW3 estivessem viajando a mais de 354 km/h quando se separaram do cometa, poderíamos ver uma boa chuva de meteoros”, disse Cooke. “Se os detritos tivessem velocidades de ejeção mais lentas, nada chegaria à Terra e não haveria meteoros deste cometa.”

O cometa SW3, ou 73P/Schwassmann-Wachmann, recebeu o nome de seus descobridores, os astrônomos alemães Arnold Schwassmann e Arno Arthur Wachmann. O par encontrou e catalogou SW3 pela primeira vez em 1930, confirmando a partir de observações orbitais que estava em uma órbita de 5,4 anos. Em sua visita mais próxima, em 31 de maio de 1931, o cometa estava a apenas 9,2 milhões de quilômetros da Terra, mas estava bastante escuro e só podia ser visto através de telescópios.