Mercado abrirá em 2 h 25 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,28
    -0,46 (-0,58%)
     
  • OURO

    1.646,50
    -9,10 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    19.149,30
    +90,28 (+0,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,38
    -6,16 (-1,38%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.943,17
    -75,43 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.325,75
    -51,00 (-0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0732
    -0,0244 (-0,48%)
     

Delatora do Facebook diz que companhia só vai se recuperar com saída de Zuckerberg

Delatora do Facebook diz que Meta só vai ser recuperar com saída de Mark Zuckerberg. Foto: REUTERS/Michele Tantussi.
Delatora do Facebook diz que Meta só vai ser recuperar com saída de Mark Zuckerberg. Foto: REUTERS/Michele Tantussi.
  • Ex-funcionária e denunciante do Facebook disse em entrevista que a companhia só vai se recuperar se Mark Zuckerberg renunciar do cargo;

  • Na entrevista, Frances Haugen explicou por que foi a público e divulgou os documentos internos da empresa;

  • Os documentos mostraram que a gigante da mídia social sabia sobre seus efeitos na saúde mental de adolescentes.

A ex-funcionária e denunciante do Facebook, Frances Haugen, afirmou em uma entrevista recente para a Bloomberg que a companhia de mídia social não conseguirá se recuperar até que Mark Zuckerberg deixe o cargo de CEO.

Na ocasião, Haugen comentou sobre o que a fez ir a público e divulgar as dezenas de milhares de documentos internos da gigante da tecnologia.

Leia também:

Entre as diversas informações expostas ficou claro que a empresa sabia dos efeitos de seus produtos na saúde mental de adolescentes, assim como estimulava a violência étnica em países como a Etiópia e falhava em conter a desinformação nas plataformas.

À Bloomberg, Haugen também disse que Zuckerberg genuinamente acredita que a rede social “é apenas um espelho” da realidade, e que se “você está triste é porque agora se poder ver isso”.

"Mark está cercado de pessoas desde os 19 anos que lhe disseram que estava fazendo um ótimo trabalho”, continuou.

Quando perguntada pela entrevistadora do programa, Emma Barnett, se Zuckerberg deveria deixar o cargo, a ex-funcionária afirmou: “Não acho que a companhia pode ser recuperar enquanto ele for o chefe”.