Mercado fechará em 47 mins
  • BOVESPA

    119.392,04
    -172,40 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.887,22
    +487,42 (+1,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,74
    -0,89 (-1,36%)
     
  • OURO

    1.813,80
    +29,50 (+1,65%)
     
  • BTC-USD

    55.620,00
    -1.703,20 (-2,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.442,24
    -29,17 (-1,98%)
     
  • S&P500

    4.179,57
    +11,98 (+0,29%)
     
  • DOW JONES

    34.400,92
    +170,58 (+0,50%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.480,50
    -10,50 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3656
    -0,0613 (-0,95%)
     

COVID | Vacinação de adolescentes pode começar em breve nos Estados Unidos

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

Adolescentes entre 12 e 15 anos, em breve, poderão começar a se vacinar contra a COVID-19 nos Estados Unidos. O órgão regulador do país, a FDA (Food and Drug Administration), acaba de anunciar que está preparando a autorização para a imunização destes jovens com a vacina da Pfizer/BioNTech, no começo da semana que vem.

Crianças e adolescentes, por serem os menos afetados pelo coronavírus, estão em último na lista de vacinação. Além disso, grande parte dos testes de vacina realizados contou com a participação apenas de adultos — exceto pela Pfizer, que recentemente divulgou que o seu imunizante é tão eficaz em adolescentes quanto é em adultos.

<em>Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay</em>
Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay

Ainda que exista menos possibilidade de uma pessoa com idade entre 12 e 15 anos desenvolver uma forma grave da doença, a vacinação irá ajudar a reduzir a propagação do vírus, reduzindo também as taxas de hospitalização e óbitos. A liberação da vacina, se acontecer, será em caráter de emergência, com o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) se reunindo para revisar os resultados do ensaio clínico do imunizante da Pfizer.

De acordo com os testes, nenhum dos adolescentes que foram imunizados desenvolveu uma forma sintomática da doença, gerando ainda uma resposta significativa na produção de anticorpos e apresentando os mesmos efeitos colaterais percebidos em jovens com idades entre 16 a 25 anos.

O próximo laboratório a liberar resultados de testes da vacina em jovens é a Moderna, que vem testando o imunizante em crianças e adolescentes de 12 a 17 anos, e até o final do ano deve revelar os relatórios de testes em bebês a partir de seis meses até crianças de 12 anos de idade.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: