Mercado abrirá em 8 h 42 min

Empresa promoverá leilão de carros de luxo e populares

Leilão contemplará quase 200 veículos entre carros de luxo, SUVs e até motocicletas (Getty Creative)
Leilão contemplará quase 200 veículos entre carros de luxo, SUVs e até motocicletas (Getty Creative)
  • Leilões serão promovidos em São Paulo e em Minas Gerais

  • Entre os modelos já disponíveis para lance estão um Jaguar F-Pace e um Ford Ka

  • Podem participar do certame pessoas físicas (maiores de idade) ou jurídicas

A Copart, empresa organizadora de leilões extrajudiciais, promoverá um leilão em São Paulo e outro em Minas Gerais com quase 200 veículos entre carros de luxo, SUVs e até motocicletas em sessões que ocorrem nesta sexta-feira (05), às 10h no pátio de Osasco (SP) e às 12h no pátio de Betim (MG).

Entre os modelos já disponíveis para lance estão um Jaguar F-Pace 2016/2017, com tabela Fipe de R$ 327.462; um Volvo XC 60 2019/2020, com tabela Fipe de R$ 272.739; um Volkswagen Taos 2021/2022, com Tabela Fipe de R$ 168.117 e um Ford Ka 2019, com tabela Fipe de R$ 65.895.

Para participar do leilão, é preciso se cadastrar no site da empresa e informar a documentação necessária, como CNH, CPF, RG e comprovante de residência. Podem participar do certame pessoas físicas (maiores de idade) ou jurídicas.

Leilão notável

No mês passado, a Lamborghini Gallardo LP 560-4 de Cláudio José de Oliveira, conhecido como o ‘Rei do Bitcoin’, foi arrematada em leilão por R$ 805 mil na última sexta-feira (22) em Curitiba, no Paraná. Após 27 lances, o veículo foi comprado por um morador do Rio de Janeiro.

O automóvel foi apreendido em julho de 2021 pela Polícia Federal durante a Operação Daemon, que investigou um grupo responsável por desviar mais de R$ 1,5 bilhão e causar danos a mais de 7 mil pessoas em negociações de criptomoedas.

O carro, que estava avaliado em R$ 629 mil, foi vendido por R$ 805 mil acrescidos de uma comissão de pouco mais de R$ 40 mil, destinados ao leiloeiro.

Até o leilão, a Lamborghini tinha uma plotagem da Polícia Federal. Contudo o carro era usado somente em ações específicas, como exibições e ações pedagógicas de repressão ao crime organizado e descapitalização de bens de organizações que atuam ilegalmente.