Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,27 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,46 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,77
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.802,50
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    23.811,74
    +590,73 (+2,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,85
    +12,97 (+2,39%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,04 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.100,70
    -148,54 (-0,53%)
     
  • NASDAQ

    13.190,00
    +6,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2085
    -0,0009 (-0,02%)
     

Confirmado: lixo espacial encontrado em fazenda na Austrália é da SpaceX

A Agência Espacial Australiana (ASA) confirmou que os objetos encontrados em fazendas em Nova Gales do Sul, na costa leste do país, pertencem ao compartimento de cargas de uma nave Crew Dragon, da SpaceX. Neste sábado (30), especialistas da agência espacial visitaram o local onde os fazendeiros Mick Miners e Jock Wallace encontraram os detritos.

De acordo com informações da mídia local, o objeto entrou na atmosfera no dia 9 de julho, causando um forte som ouvido em Snowy Mountains, Albury, Wagga Wagga e Canberra. Dias depois, o fazendeiro Miners encontrou alguns dos destroços em uma área de sua propriedade — entre os fragmentos, estava uma peça com quase três metros de extensão, fincada no solo como um obelisco.

Um dos destroços encontrados pelos fazendeiros (Imagem: Reprodução/ABC South East NSW: Adriane Reardon)
Um dos destroços encontrados pelos fazendeiros (Imagem: Reprodução/ABC South East NSW: Adriane Reardon)

Um representante da ASA afirmou que a agência continua trabalhando com parceiros nos Estados Unidos, membros da comunidade e autoridades locais, conforme for apropriado. “Se a comunidade encontrar mais detritos suspeitos, não devem tentar manipular ou recuperá-los”, alertou.

Brad Tucker, astrofísico da Universidade Nacional da Austrália, analisou os objetos encontrados e identificou um número de série em um deles; ele sugere que os fragmentos são do compartimento de carga da Crew Dragon usada na missão Crew-1, lançada em 2020. Após os fazendeiros encontrarem os dois primeiros pedaços de detritos, um terceiro foi encontrado no dia 14 de julho, perto da cidade de Jindabyne.

Nave Crew Dragon usada na missão Crew-1 (Imagem: Reprodução/SpaceX)
Nave Crew Dragon usada na missão Crew-1 (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Como a população já sabe que a nave se desintegrou na área, Tucker acredita que mais pessoas devem encontrar outros destroços ao longo das próximas semanas e até anos. Segundo ele, a discussão agora é voltada para descobrir se a SpaceX vai coletar os detritos. Para o astrofísico, como a reentrada quase não causou danos, não deve haver necessidade de transações intergovernamentais para compensar eventuais estragos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos