Mercado fechará em 6 h 58 min
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,30 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,84
    -2,44 (-3,20%)
     
  • OURO

    1.758,40
    +4,40 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    16.221,37
    -329,76 (-1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,95
    -2,71 (-0,71%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.458,79
    -27,88 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.676,00
    -106,75 (-0,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6718
    +0,0474 (+0,84%)
     

Cientistas descobrem porque o gigante Júpiter não tem anéis grandes como Saturno

Cientistas descobrem porque o gigante Júpiter não tem anéis grandes como Saturno
Cientistas descobrem porque o gigante Júpiter não tem anéis grandes como Saturno
  • Todos os quatro planetas gigantes do nosso sistema solar – Saturno, Netuno, Urano e também Júpiter – de fato têm anéis;

  • Júpiter está longe de ter anéis tão grandes e tão espetaculares quanto os de Saturno;

  • As gigantes luas do planeta impedem a formação de anéis maiores.

Todos os quatro planetas gigantes do nosso sistema solar – Saturno, Netuno, Urano e também Júpiter – de fato têm anéis. Mesmo Júpiter sendo o maior, está longe de ter anéis tão grandes e tão espetaculares quanto os de Saturno. Uma nova pesquisa da UC Riverside explica que esse fato tem a ver com as luas que orbitam ao redor do maior planeta do sistema solar.

O astrofísico da UCR Stephen Kane e seu aluno de pós-graduação Zhexing Li executaram uma simulação dinâmica de computador, contabilizando as órbitas das quatro luas principais de Júpiter, bem como do próprio planeta e informações sobre o tempo necessário para que seus anéis fossem formados. O resultado do estudo está disponível online, e em breve será publicado pela revista Planetary Science .

Os anéis de Saturno são em grande parte feitos de gelo, alguns dos quais podem ter vindo de cometas. Se as luas são grandes o suficiente, sua gravidade pode lançar o gelo para fora da órbita de um planeta, ou mudar a órbita do gelo o suficiente para que ele colida com as luas.

“Descobrimos que as luas galileanas de Júpiter, uma das quais é a maior lua do nosso sistema solar, destruiriam muito rapidamente quaisquer grandes anéis que pudessem se formar”, disse Kane. Como resultado, é improvável que Júpiter tivesse grandes anéis em qualquer ponto de seu passado.

“Planetas massivos formam luas massivas, o que os impede de ter anéis substanciais”, continuou Kane.

Coincidentemente, algumas das imagens recentes do Telescópio Espacial James Webb incluíam capturas de Júpiter, nas quais os anéis fracos são visíveis.

"Nós não sabíamos que esses anéis efêmeros existiam até que a espaçonave Voyager passou porque não podíamos vê-los", disse Kane.