Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.560,83
    +362,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,03
    +0,58 (+0,66%)
     
  • OURO

    1.720,50
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.942,33
    -215,20 (-1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,11
    -7,01 (-1,51%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,85 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.504,25
    -37,50 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0938
    -0,0197 (-0,39%)
     

Atividades no metaverso devem movimentar mais de R$ 2 trilhões até 2025

Atividades no metaverso devem movimentar mais de R$ 2 trilhões até 2025, aponta estudo. Foto: Getty Images.
Atividades no metaverso devem movimentar mais de R$ 2 trilhões até 2025, aponta estudo. Foto: Getty Images.
  • Novo estudo mostra que o metaverso deve gerar mais de US$ 400 bilhões até 2025;

  • Atividades como realidade virtual e realidade aumentada vêm sendo cada vez mais exploradas;

  • Ativos virtuais, NFTs ou skins em games podem gerar entre US$ 150 bilhões e US$ 300 bilhões no período.

A realidade e a tecnologia estão cada vez mais interligadas. Considerado o futuro da internet, o metaverso é um termo criado para se referir a um mundo virtual no qual as pessoas podem interagir com diferentes propósitos por meio de diversas tecnologias e experiências como a realidade virtual (VR) e a realidade aumentada (AR).

Segundo novo estudo da Boston Consulting Group (BCG), empresa norte-americana de consultoria empresarial, as indústrias do metaverso, que já movimentam cerca de US$ 250 bilhões, cerca de R$ 1,3 trilhão na cotação atual, devem gerar mais de US$ 400 bilhões, o equivalente a pouco mais de R$ 2 trilhões, até 2025.

Leia também:

A pesquisa também mostra que os responsáveis por mobilizar esse capital são ativos digitais como NFTs (tokens não-fungíveis, em tradução), software e hardware, como os óculos de realidade virtual e plataformas de imersão, aplicativos de realidade aumentada, virtual e mista, e infraestrutura de cloud e inteligência artificial.

De acordo com o estudo, apenas os ativos virtuais, NFTs ou skins em jogos eletrônicos podem gerar entre US$ 150 bilhões e US$ 300 bilhões, cerca de R$ 788 bilhões e R$ 1,6 trilhão, respectivamente, durante o período.

São itens que compõem 40% das negociações realizadas na chamada Web3, e 60% na Web2. Enquanto isso, os aplicativos responsáveis pelo funcionamento desses elementos devem ter uma fatia de US$ 50 bilhões no montante projetado até 2025.