Mercado fechará em 6 h 53 min
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,46
    +0,16 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.785,30
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    33.100,54
    -852,92 (-2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    794,36
    +7,75 (+0,98%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.136,34
    +26,37 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.375,25
    +21,00 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8777
    +0,0154 (+0,26%)
     

Apple dá mais um passo rumo a um mundo sem senhas

·2 minuto de leitura

Um dos anúncios da Apple na WWDC 2021, sua convenção anual de desenvolvedores, foi a evolução de recursos de identificação sem o uso de senhas. A companhia apresentou o início dos testes de uma funcionalidade que vai permitir autenticação com o padrão WebAuthn e reconhecimento biométrico Face ID/Touch ID.

Para isso, a empresa mostrou como vai funcionar o recurso no Chaveiro iCloud. A novidade estará presente no iOS 15 e no macOS Monterey para que os programadores possam experimentá-la.

O WebAuthn usa biometria para fazer a identificação do usuário e, além de ser fácil de usar, tem autenticação em duas etapas resistente a phishing. Garrett Davidson, engenheiro da Apple, explica que o sistema funciona a partir de chaves públicas e privadas em vez da “troca de segredos” que ocorre hoje em dia.

Ele destaca que as senhas atuais são compartilhadas entre o usuário e o servidor. “Vamos nos livrar disso. Com chaves públicas e privadas, uma parte vai ser conhecida e pode ser compartilhada com qualquer um, mas a outra será protegida pelo dispositivo. O aparelho não informa esse dado secreto para ninguém, nem para o servidor.”

Imagem: Reprodução/Pixabay/Gino Crescoli
Imagem: Reprodução/Pixabay/Gino Crescoli

Segundo Davidson, quando a segurança do WebAuthn for associada à criptografia do Chaveiro iCloud, essas chaves serão mais seguras do que “a maioria das soluções que combinam senha e autenticação em duas etapas atuais”.

Mais fácil, mais rápido, mais seguro

Isso quer dizer que o simples reconhecimento da face ou da impressão digital do usuário vai ser uma opção mais segura, mais fácil e mais rápida do que as opções mais comuns atualmente. Apesar da empolgação, entretanto, é preciso lembrar que ainda há muito desenvolvimento pela frente antes que essa solução esteja disponível.

No iOS 15, o teste da tecnologia está desligado por padrão e pode ser ativado em Configurações. Já no macOS Monterey, a opção está no menu de desenvolvedores. Primeiramente, é necessário ligá-lo, em Configurações Avançadas. A função está no fim do painel Avançado, em Preferências. Ali, no menu Desenvolver, é preciso acionar o Autenticador da Plataforma de Sincronismo para ter acesso ao recurso.

Nesta primeira etapa dos testes, o objetivo é a tecnologia de autenticação em si. A transição do modelo de senhas para o de chaves ainda não é parte do processo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos