Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.664,35
    -786,85 (-0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.102,55
    -339,66 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,61
    -0,54 (-0,66%)
     
  • OURO

    1.668,00
    -2,00 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    19.412,07
    -118,97 (-0,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,68
    -2,30 (-0,52%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    -78,57 (-2,11%)
     
  • DOW JONES

    29.225,61
    -458,13 (-1,54%)
     
  • FTSE

    6.881,59
    -123,80 (-1,77%)
     
  • HANG SENG

    17.165,87
    -85,01 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    26.422,05
    +248,07 (+0,95%)
     
  • NASDAQ

    11.227,25
    -328,50 (-2,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2967
    +0,0641 (+1,23%)
     

Apesar de proibida, pornografia explícita segue inundando o Spotify

Áudios obscenos e imagens de genitálias e práticas sexuais continuam nas buscas (Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Áudios obscenos e imagens de genitálias e práticas sexuais continuam nas buscas

(Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)

  • Mesmo que seja proibida, pornografia continua a aparecer no Spotify;

  • Pontos e vírgulas elencam conteúdos não permitidos;

  • Empresa disse que remove uploads que vão contra as políticas de uso.

Ainda que seja proibida, a pornografia explícita continua aparecendo para os usuários do Spotify. Na maioria das vezes, os áudios obscenos têm curta duração e trazem, na imagem de capa, fotos de genitálias ou práticas sexuais.

Em entrevista à Vice, um leitor se mostrou chocado ao perceber que a filha, de apenas oito anos de idade, teve contato com esses uploads após digitar um ponto (.) por acidente na barra de pesquisa do aplicativo. “Não sei o que esperava, mas com certeza não era pornô hardcore”, disse o pai.

O pequeno erro no momento da busca é o responsável por elencar uma série de conteúdos pornográficos, mostrados a qualquer usuário que digite pontos ou vírgulas na barra de pesquisa. Dentre os resultados, aparece uma imagem falsa de uma celebridade masculina praticando sexo anal com outro homem e um podcast cuja capa mostrava a genitália de uma mulher. No áudio, não só obscenidades eram faladas, como também discursos antissemitistas, segundo a Vice. Há ainda leitura de livros eróticos e conteúdos sensuais.

O que diz o Spotify

Um porta-voz da empresa disse, ao portal, que "o Spotify proíbe conteúdo em nossa plataforma que contenha material sexualmente explícito. Quando o conteúdo que viola esse padrão é identificado, é removido".

Os termos de uso do streaming apontam que estão proibidas “pornografia ou representações visuais de genitália ou nudez apresentadas para fins de gratificação sexual”. O aplicativo também conta com uma configuração para bloquear a reprodução de conteúdo explícito nos perfis dos usuários, mas muitas buscas acabam escapando do filtro.

Um dos motivos é a forma com que os usuários fazem o upload, usando caracteres – como pontos e vírgulas – para mascararem o conteúdo. Entretanto, ainda não se sabe o porquê das postagens, já que usuários precisam de 250 streams antes de receberem 1 dólar em pagamento. Além disso, por ser proibida, a pornografia pode ser mais facilmente encontrada por crianças que acidentalmente digitam errado do que por adultos que desejam encontrá-la facilmente.

Após a reportagem da Vice, muitos dos conteúdos relatados foram removidos.