Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,44
    -0,22 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.784,80
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    31.918,23
    -3.687,91 (-10,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    766,57
    -83,77 (-9,85%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.682,32
    +671,39 (+2,40%)
     
  • NASDAQ

    14.147,00
    +17,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9757
    +0,0004 (+0,01%)
     

Wall Street desaba no fechamento

·1 minuto de leitura
Operador acompanha o movimento das ações na Bolsa de Nova York

Wall Street sofreu nesta segunda-feira (9) seu maior tombo em 11 anos, arrastada pela queda do petróleo e a crise mundial do coronavírus.

Segundo resultados provisórios de fechamento, o Dow Jones Industrial Average caiu 7,83% a 23.389,46 pontos, com queda de dois mil pontos, enquanto o índice tecnológico Nasdaq desabou 7,29% a 7.950,68 unidades e o S&P 500 das principais empresas na bolsa caiu 7,64% a 2.745,34 pontos.

De acordo com Howard Silverblatt, especialista em índices na S&P Dow Jones Indices, S&P 500 perdeu 1,87 trilhão de dólares desde o seu recorde de 19 de fevereiro.

Distribuída pela população dos Estados Unidos, trata-se de um prejuízo de 5.682 dólares por habitante.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos