Mercado fechado
1 / 5

Turismo

Viagens são alvo de fraudadores, segundo levantamento (Foto: Getty Images)

Os produtos mais usados como isca na 'Black Fraude'

A Black Friday é uma oportunidade de compra de algo a preço mais acessível. Mas é preciso ficar atento para não cair em ofertas de lojas falsas. Existem muitos tipos produtos que são usados como isca por esses criminosos virtuais.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

De acordo com um estudo feito pela Konduto, empresa de serviços antifraude para pagamentos online, na Black Friday 2018 os eletroeletrônicos lideraram as tentativas de fraude.

O levantamento mostra também que 1,43% das compras feitas entre os dias 22 (quinta) e 25 de novembro (domingo) do ano passado foram realizadas com cartões de crédito clonados.

Leia também

“Geralmente aqueles produtos de alto valor agregado e alto poder de revenda são os mais desejados por criminosos cibernéticos. Além disso, passagens aéreas ou rodoviárias, joias e roupas de marcas famosas também são visados”, afirma Tom Canabarro, co-fundador da Konduto.

Nessa época do ano, existem fraudadores que criam lojas de fachadas e anunciam produtos bastante estimados, como, por exemplo, smartphones e eletrônicos, com preços tentadores, oferecendo pagamentos apenas por boleto bancário ou transferência bancária.

“Nesse momento, o consumidor acha que está aproveitando uma oferta tentadora, realiza a compra, finaliza o pagamento e nunca recebe o produto. No momento que ele vai reclamar, o site não existe mais”, comenta Canabarro.

Ralf Germer, CEO da fintech PagBrasil, explica que ao realizar uma compra pela internet, os consumidores precisam ficar atentos à URL da página, uma vez que se um fraudador estiver se passando por uma loja oficial, o domínio será diferente do endereço do e-commerce.

Confira as categorias de produtos que são alvo de falsas ofertas na Black Friday.