Mercado abrirá em 6 h 17 min
1 / 6

Este jornalista e historiador norte-americano afirma que durante décadas o alto comando do país ordenou a construção de vários complexos subterrâneos em locais afastados, que seriam utilizados no caso de um ataque russo.

Graff acredita que diante da impossibilidade de salvar toda a população, o governo chegou à conclusão de que o mais “inteligente” seria “se auto proteger”.

Neste livro, a partir de documentos desclassificados e visitas a instalações reais, ele descreve o complexo militar de 260 hectares chamado Raven Rock, na Pensilvânia. Sua localização está a poucos quilômetros de Camp David, o tradicional retiro oficial dos presidentes dos Estados Unidos nas montanhas de Maryland.

Os esconderijos secretos dos Estados Unidos para salvar a elite política de um ataque nuclear

POR YULEINA BARREDO – Quem estaria entre os sobreviventes no caso de um ataque nuclear global? Durante a Guerra Fria, os Estados Unidos começaram a se preocupar com a segurança de sua elite política, diante do iminente perigo da bomba atômica.

Foi então que surgiu uma rede secreta de bunkers onde estariam a salvo somente os funcionários do governo e suas secretárias, pois nem sequer as esposas teriam vaga nestes refúgios exclusivos.

É o que afirma Garrett M. Graff em seu último livro “Raven Rock: The Story of the U.S. Government’s Secret Plan to Save Itself”, (Raven Rock: A História do Plano Secreto do Governo dos Estados Unidos para Salvar-se, em tradução livre), cuja narrativa engloba desde o início da era nuclear até a atualidade.