Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,56
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.754,80
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    47.777,68
    -387,45 (-0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.223,08
    -10,21 (-0,83%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    15.487,75
    -30,00 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1991
    +0,0143 (+0,23%)
     

15 conselhos que podem valer o sucesso da empresa


Com 27 milhões de empresários e de pessoas envolvidas na concepção de um negócio próprio, o Brasil é o terceiro colocado em número de empreendedores num ranking de 54 países, atrás apenas da China e dos Estados Unidos, como divulgou a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2011 (GEM), realizada anualmente e fruto de uma parceria entre o Sebrae e o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP).

No entanto, sustentar um empreendimento de sucesso e entrar no mercado de trabalho não é tarefa fácil. Números mostram que a cada dez empresas que abrem, seis fecham em cinco anos de vida. “O Brasil é um país cheio de burocracia. Para superar os obstáculos é preciso foco, profissionalismo, conhecimento e cautela para conquistar mercado, fazer a empresa crescer e ganhar credibilidade”, afirma José Chapina Alcazar, presidente do Sescon-SP (Sindicato das Empresas de Contabilidade e Assessoramento no Estado de São Paulo).

Leia também:
Maioria prefere não falar de política no ambiente de trabalho
Fundador do China in Box conta sua trajetória de sucesso
10 dicas para acabar com o estresse no trabalho


Para tanto, a fim de contribuir com o alto índice de empreendedorismo, o Sescon-SP preparou uma lista com 15 dicas que podem valer o sucesso de um empresário iniciante. Veja.

1 - Identificação do negócio
Inicialmente, identificar uma vocação e um desejo é importante porque é fundamental trabalhar com satisfação e não somente para ganhar dinheiro. “Buscar uma área de sua afinidade é um bom começo”, aconselha Chapina Alcazar.

2 - Conhecer bem a área de atuação
Definido o segmento, é importante obter o máximo de conhecimento sobre o futuro negócio. Segundo o presidente do Sescon-SP, é preciso observar a atuação da concorrência, pesquisar se o local não está saturado, identificar os hábitos e a carência dos consumidores. “É importante também mapear oportunidades e dificuldades, participar de cursos, palestras e buscar capacitação sobre todas as questões que envolvem o nicho específico e o empreendedorismo em geral.”

3 - Plano de negócios

Com os dados colhidos na pesquisa, elaborar um plano de negócios mais claro e detalhado possível, documentando estratégias para concretizar os objetivos: aspectos financeiros, administrativos e de marketing. “Este documento servirá como guia para o empreendedor”, diz Alcazar.

4 - O apoio da Contabilidade
O auxílio de uma boa assessoria contábil no momento de abertura do negócio é fundamental. Ela apontará os meios para a formalização do negócio em âmbito municipal, estadual e federal. “O contador profissional ajudará no planejamento e indicará caminhos para a legalidade, o crescimento e o sucesso. Independentemente do porte da empresa, não se pode abrir mão da escrituração contábil, uma poderosa ferramenta do estado para fiscalização e para tomadas de decisão do empresário”, garante Chapina Alcazar.

5 - Formalização
A formalização é mais que uma questão legal. Uma empresa informal fica de mãos atadas, sem oportunidades de crescer. De acordo com o presidente do Sescon-SP, “legalizada, a organização pode trabalhar sem preocupação com fiscalização, tem acesso facilitado a créditos, pode participar de concorrências e ganha a credibilidade do mercado”.

6 - Ponto adequado

Antes da aquisição ou locação do imóvel onde a atividade será exercida é preciso verificar se não há desacordo com a legislação de zoneamento da cidade ou se o “habite-se” está alinhado à atividade. Caso contrário a empresa terá problemas para obter a licença de funcionamento.

7 - Escolha adequada do regime de tributação
Ao optar acertadamente entre os regimes de apuração de tributos do Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional, as empresas conseguem reduzir significativamente a sua carga tributária. Esta escolha deve sempre levar em consideração o orçamento e o resultado desejado pelo empreendedor, não deixando de considerar o custo de todos os tributos incidentes sobre a atividade, mercadorias comercializadas e despesas com salários, por exemplo. Chapina Alcazar adverte: “é importante lembrar que nem sempre a melhor opção é o sistema simplificado”.

8 - Controles internos de gestão
Ao lado da escrituração contábil, a adoção de controles internos de gestão é essencial para o negócio e necessária para a boa prestação de contas ao fisco. Controle de estoque, do quadro de colaboradores, de caixa e outros auxiliam as tomadas de decisão.

9 - Controle do fluxo de caixa
O empresário precisa ter atenção especial ao fluxo de caixa, sempre contabilizando os recursos que serão destinados aos impostos, ao pagamento de funcionários, décimo terceiro e reserva para emergências. É preciso entender a sistemática do mercado e do nicho de atuação nas compras a prazo, sempre trabalhando com prazos que permitam que o montante das vendas entre em caixa antes do vencimento das compras. “Questão vital neste item é nunca envolver dinheiro da pessoa física no negócio”, alerta o presidente do Sescon-SP.

10 - Qualidade

É preciso sempre investir na qualidade, tanto nos serviços como no atendimento. Para Chapina Alcazar, muito mais importante do que conquistar novos clientes é fidelizar os atuais. “Serviços de excelência sempre fazem o cliente voltar.”

11 - Profissionalização
Não importa o tamanho da empresa, a prioridade é a profissionalização do negócio. Além de criar condições para solidez e crescimento, esta medida é fundamental visto que a evolução da inteligência fiscal brasileira permite inúmeras possibilidades de cruzamento de dados e exige uma postura cada vez mais séria do novo empresário.

12 - O que é lucro? Utilize comparativos   
  
A realização de um orçamento trimestral ou anual constitui uma grande ferramenta para o empreendedor, pois permite análises e comparações mês a mês, além da adoção de medidas para que o giro de produtos e serviços possa cobrir despesas como taxas, tributos, aluguel, assessorias, entre outros.

Demonstração simplificada:
Vendas do mês - compras do mês = lucro bruto
Lucro bruto - despesas gerais = lucro líquido
Dessa forma, o lucro líquido fica disponível para novos investimentos na empresa ou para divisão entre os sócios.

13 - Invista na equipe

A equipe de colaboradores pode ser fator de sucesso ou de fracasso do novo empreendimento. “Contrate pessoas que querem crescer, motive e ofereça treinamento. Envolva a equipe em seus objetivos e metas”, acrescenta Chapina Alcazar.

14 - Inquietação

A inquietação motiva o crescimento. “Estar atento às novidades, ao comportamento do mercado e às mudanças de hábitos dos consumidores é muito positivo.”

15 - Aprimoramento
O aprimoramento profissional é um item de ouro para trabalhadores e também para o empreendedor. “É importante entender seus pontos fracos e buscar aprendizado, além de investir em conhecimento, especialmente em gestão”, finaliza Chapina Alcazar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos