15 dicas para se livrar das dívidas

Apesar da palavra endividamento causar calafrios em muitas pessoas, isto não implica na sua extinção. Pelo contrário, as dívidas fazem parte da realidade de muitos brasileiros, conforme revela uma pesquisa recente feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Em março, 52,2% dos paulistanos se declararam endividados, o que equivale a 1,87 milhão de famílias; este é o maior número em 12 meses.

De acordo com economistas da Fecormercio, este aumento se deve aos refinanciamentos das dívidas assumidas no começo do ano, com matrícula, material escolar e tributos como o IPTU e o IPVA. “O incremento no total de endividados também foi impactado pelos crescentes gastos com turismo, viagens, hotéis e aluguel de carro”, aponta a Federação.

Para ajudar o consumidor a sair do vermelho, o presidente da DSOP Educação Financeira Reinaldo Domingos elaborou algumas dicas muito úteis ao bom orçamento. Acompanhe:

1. Antes de sair negociando é preciso ter pleno domínio do seu dinheiro, fazer um diagnóstico financeiro, registrando o que se ganha, o que se gasta, conhecer seu verdadeiro “eu financeiro”;

2. Faça um levantamento de suas despesas diárias por categoria pelos próximos 30 dias; este é o caminho para que fique tudo mais claro, assim poderá identificar os excessos e cortar gastos;

3.
Muitas vezes é importante dizer “devo, não nego, pago como e quando puder”. Nunca se deve procurar um credor (pessoa para quem você deve) antes de ter domínio completo de seu dinheiro;

4.
É preciso ter muita calma quando se está inadimplente. Estar endividado nem sempre é um problema, o problema é quando não se consegue pagar este compromisso;

5.
A portabilidade é uma das ferramentas para reduzir o endividamento, por isso procure por linhas de créditos mais baixas. Mas lembre-se: isso não resolve a causa do problema;

6.
No planejamento para pagar as dívidas priorize as que têm os juros mais altos, geralmente as de cartão de crédito e cheque especial;

7. Na hora de negociar, se for parcelar as dívidas, tenha certeza que as mesmas cabem em seu orçamento;

8. Saiba que para pagar às dívidas atrasadas terá que repensar seu padrão de vida, pois, se já se endividou com o que ganha, seu montante se reduzirá nos próximos meses com as parcelas;

9.
Não existe uma porcentagem exata de quanto terá que direcionar para pagar as dívidas, isso dependerá do diagnóstico financeiro feito previamente;

10. Elabore uma estratégia para sair do endividamento, conhecendo detalhadamente os credores, valores e taxas de juros;

11. Dois fatores levam ao endividamento: o crédito fácil e a propaganda. Por isso, cuidado para não comprar o que não sonhava, com o dinheiro que você não tem, para impressionar, muitas vezes, quem você não conhece;

12.
As facilidades de créditos, como limite de cheque especial, cartão de crédito, crediários têm sido verdadeiros vilões nesta ciranda do endividamento e da inadimplência;

13.
Não “empreste” seu nome para que parentes e amigos façam dívidas. Se eles não podem usar o próprio nome é porque provavelmente já estão com problemas de endividamento;

14.
Procure guardar dinheiro para comprar à vista e com algum desconto. O sonho da independência financeira passa por respeito ao dinheiro. Entenda que dinheiro é meio e não fim;

15.
Quem compra a prazo, paga juros, quem paga juros, paga mais caro e tem dívidas. Quem tem dívidas, realiza menos sonhos!

Carregando...