Update privacy choices
Finanças

Inadimplência cresce mais na classe média do que nas classes baixas, diz pesquisa

Yahoo Finanças
(Pixabay)

Por Fernanda Santos

No mês de julho, 63,4 milhões de brasileiros estavam inadimplentes, segundo levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Dívidas bancárias, crediário no comércio, contas de telefone e até serviços básicos, como água e luz, são dívidas citadas pelos entrevistados.

Segundo o superintendente de finanças do SPC, Flávio Borges, 42% da população adulta do país está devendo. As pessoas estão se endividando mesmo com contas que implicam corte. O que mostra a profundidade da crise que estamos passando”, diz ele.

Classe média se endivida mais

No último ano, o endividamento cresceu mais entre as famílias da classe média, com renda mensal acima de 10 salários mínimos, do que entre os mais pobres – que ganham menos que isso por mês. Mas, no geral, a classe média continua devendo menos.

A conclusão é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, feita pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

“A classe de renda superior tem mais espaço para se beneficiar do crédito mais barato, porque tem mais espaço em seu orçamento para acomodar novas parcelas de empréstimos e financiamentos”, explica a economista da CNC Marianne Hanson.

Flávio Borges, do SPC, diz também que a classe média está mais pressionada financeiramente após a crise, o que ajuda a explicar o aumento da inadimplência.

“Não houve só desemprego, mas achatamento de renda, subemprego, pessoas que conseguiram empregos com cargas horárias menores”, disse.

(Reprodução)  

De acordo com o levantamento, 22% das famílias que ganham até 10 salários estão com mais da metade da renda mensal comprometida com dívidas. Na classe média, a porcentagem é de 13,7%.

(Reprodução)

Classe média deve por mais tempo

As famílias da classe média têm mais dívidas de longo prazo e juros menores, como financiamento de carro, financiamento de casa e crédito consignado, explica Marianne Hanson.

Já as famílias da faixa de renda inferior apresentam, em maior parte, um perfil de endividamento de curto prazo, com maior participação do cartão de crédito e de carnês de loja.

(Reprodução)
(Reprodução)
Reações

Leia também