Update privacy choices
Finanças

Auxílios do judiciário custam mais de R$ 100 milhões por mês

Yahoo Finanças
(Pixabay)

Postulando um reajuste de 16% para o próximo ano, de carona nos reajustes aprovados pelo STF na última semana, o judiciário brasileiro gasta por mês mais de R$ 104 milhões no pagamento de auxílios a seus membros.

Juízes, desembargadores e ministros recebem uma série de benefícios, além de seus salários. Em um ano, o valor – que não considera os salários – ultrapassa os R$ 1,2 bilhão.

O que é pago?

Os integrantes do judiciário recebem, em média, cinco tipos de auxílio por mês: moradia, alimentação, saúde, pré-escolar e natalidade. O mais caro deles é o de moradia, que custa R$ 75,2 milhões e é pago a 70% dos magistrados no país, com um valor médio de R$ 4,3 mil por mês. Para ter acesso ao benefício, não é preciso fornecer nenhum tipo de comprovação.

Em segundo lugar nas despesas mensais aparece o de alimentação, que consome R$ 18,6 milhões do orçamento e varia de R$ 884 a R$ 1,9 mil por pessoa. Aparece também entre os mais caros o auxílio saúde, com gastos de R$ 9,5 milhões, pré-escolar, com R$ 1,1 milhão e natalidade, com custo mensal de R$ 10,1 mil.

Os membros do Ministério Público também recebem benefícios, mas é possível avaliar exatamente os seus valores. Isso porque, de acordo com um levantamento do UOL, os dados divulgados pelo Conselho Nacional do Ministério Público indicam apenas o valor pago, e não discriminam o que foi para quem. No caso de órgãos estaduais, as informações são muitas vezes omitidas.

11 Reações

Leia também