Update privacy choices
Finanças

5 lições que você pode aprender com os políticos e aplicar na sua carreira

Yahoo Finanças
(Pixabay)

Há menos de um mês para o primeiro turno das eleições, os políticos brasileiros estão desacreditados pela população. Partidos políticos à parte, há várias lições que podemos aprender com todos os políticos para aplicar no ambiente corporativo.

“Ações políticas ajudam a alavancar resultados, melhoram as relações e trazem satisfação coletiva. Para praticá-la é preciso escutar as pessoas, entender quais são suas reais demandas, ser ativo, colocar em prática ações de melhoria, compartilhar suas percepções e emoções com sinceridade”, explica William Sousa, Gerente de Negócios Corporativos da Thomas Case & Associados, consultoria com atuação especializada na gestão de carreiras e RH. 

São valiosas lições de Liderança, Marketing, Vendas e Gestão, conhecimentos que todo profissional, independente de área de atuação e nível hierárquico, poderia se beneficiar ao utilizá-las. Pensando nisso, o Yahoo coletou com especialistas 5 lições que você pode aprender com eles:

  • Sempre estar preparado para momentos e perguntas difíceis

O ambiente corporativo é repleto de complexidades, relacionamentos difíceis e baseado em interesses de diversas partes. “Por isso, é importante que os profissionais estejam preparados para responder questões complicadas. Para isso, a melhor solução é dominar sua área de atuação e todos os aspectos que a envolvem. Assim, é possível sair de qualquer saia justa de forma educada, porque você tem segurança e argumentos para se posicionar”, explica Rodrigo Vianna, CEO da Mappit (consultoria de recrutamento e seleção especializada para vagas em início de carreira).

Renato Trindade, gerente da Page Personnel, consultoria global de recrutamento para cargos de nível técnico e suporte à gestão, também destaca que, em paralelo com a carreira política, o profissional não pode se basear em discursos infundados, discursos não pautados em resultados e exemplos práticos sobre os questionamentos. “Vale ressaltar que diferente do cenário político, um profissional não deve fazer promessas que não pode cumprir nem maquiar a realidade para alcançar seus objetivos. A integridade é uma competência muito avaliada e que não dá espaço para uma segunda chance”, fala Trindade.

  • Estudar a concorrência

Assim como um político o bom profissional conhece muito bem seu mercado, sua concorrência e todo ecossistema que envolve sua atividade profissional. A busca por informações é a base para um bom planejamento estratégico e tomada de decisões. A principal diferença entre os dois universos está em como o profissional irá utilizar essas informações.

“O político muitas vezes busca informações sobre seus concorrentes para denegrir seu adversário, buscando assuntos que possam manchar sua imagem e causar danos em uma disputa direta. O profissional tem de estudar a concorrência com objetivo de melhorar suas práticas, forma de atuação e estratégia com objetivo de cativar seu cliente e apresentar maior valor agregado para a tomada de decisão de compras. O profissional nunca deve atacar seus concorrentes, o respeito pela livre concorrência e pelo mercado devem ser base para todos os profissionais que buscam novos desafio ou estão empregados”, explica Trindade.

  • Cuidar da própria imagem

A imagem de um profissional poderá influenciar de forma considerável o seu futuro na organização. Portanto, Sousa explica que é preciso cuidar desse aspecto desde o primeiro contato para a entrevista e mantê-lo durante a vivência na organização. “Esse legado poderá ser mantido a partir de cuidados com a apresentação pessoal, vestimentas, postura, disciplina e pontualidade na execução das atividades”, explica o Gerente de Negócios Corporativos da Thomas Case & Associados.

A imagem também é um ponto em comum que deve ser trabalhado por políticos e profissionais, porém com alguns pontos bem diferentes. “Um político tem de passar uma boa imagem, mesmo que ele não a tenha. O importante é passar a percepção de uma boa imagem, mesmo que ela tenha sido criada sem ter 100% de compromisso com a verdade. Um profissional deve cuidar de sua imagem, avaliar os impactos de suas atitudes e criar uma imagem pautada na verdade. Diferente de um político que após eleito não é facilmente demitido ou questionado sobre sua imagem, um profissional tem de zelar diariamente pela imagem e responderá por tudo aquilo que representa ou diz representar”, explica Trindade.

  • Usar jargões e criar frases próprias

Segundo Sousa, os jargões e frases ajudam na criação de uma marca própria, além de apreender para si a necessidades dos outros, criando representatividade e confiança. No entanto, Trindade destaca que é preciso cuidado já que muitas vezes, a comunicação desse tipo é vazia, sem conteúdo e apenas com objetivo de impactar e não de trazer soluções ou esclarecer pontos importantes.

  • Fazer alianças

Trindade explica que as alianças e parcerias são importantes em relações políticas e profissionais, já que os profissionais que criam redes de relacionamento, conseguem expandir seus contatos e ajudar além de ser ajudado quando necessário, ganham espaço no mercado, resolvem mais problemas e atuam de uma forma mais produtiva.

Vianna complementa: “No meio corporativo, trata-se apenas de ter um bom relacionamento com os diferentes stakeholders. O universo corporativo é complexo e é preciso criar elos profundos com diferentes entidades, associações, fornecedores e clientes para contornar as adversidades e conquistar resultados positivos. Por isso, cultivar o bom relacionamento com esses stakeholders é uma atitude valiosa”, fala.

Reações

Leia também